Pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos na rede APCAP

Circulação e tráfego médio

Abril, maio e junho com uma redução de 46 por cento face a período homólogo em 2019

A rede dos associados da APCAP -Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias deAutoestradas ou Pontes com Portagens, que inclui autoestradas e outras vias principais concessionadas no Continente, na Madeira e nos Açores, registou uma queda para metade do tráfego médio diário no segundo trimestre de 2020, comparativamente a igual período do ano passado. Essa redução, a qual foi devida pelas restrições impostas à circulação dos portugueses não só no período de confinamento como em vários fins de semana importantes como foi o do período Pascal.

O valor médio de veículos registado na rede foi assim de 8800 veículos/dia, o que contrasta com os 16300 verificados em 2019.

Por regiões,as maiores quedas verificaram-se em dois extremos do País: o interior norte (A24) com menos 53%, e a Via do Infante (A22),esta última com uma quebra de 65% reflexo também da diminuição de turistas.

Este registo de tráfego médio diário trimestral é o pior desde que há estatísticas da APCAP deste indicador, ou seja, desde 2006.

Apesar da redução global de tráfego e receitas, as 24 associadas da APCAP, responsáveis por um total de 3580 quilómetros, mantiveram sempre em funcionamento pleno os sistemas de vigilância, patrulhamento e assistência 24h aos utentes, bem como os investimentos na rede, tendo reforçado os meios de prevenção e desinfeção das estruturas de maior contacto físico de clientes e funcionários.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp